top of page

Dia Nacional da Consciência Negra na Escola de Nações

Celebrando a Herança, Inspirando Mudanças: A Evolução do Dia Nacional da Consciência Negra


Na Escola de Nações, a celebração do Dia Nacional da Consciência Negra ocupa um lugar especial em nosso calendário acadêmico, enfatizando a importância de compreender e homenagear as contribuições dos indivíduos negros para a nossa sociedade. Eventos comemorativos como este desempenham um papel crucial na formação das experiências de aprendizado diário dos nossos alunos, promovendo um senso de consciência, respeito e apreciação pela rica diversidade cultural que define nossa nação.


Celebrações na Educação Infantil e Fundamental I

Este ano, nossos alunos mais jovens na Educação Infantil e no Ensino Fundamental I participaram de círculos de leitura para explorar as obras de vários autores negros e conhecer as histórias de protagonistas negros. Através da literatura, esses alunos obtiveram insights sobre a diversidade de experiências dentro da comunidade negra, promovendo empatia e compreensão.


Explorações no Ensino Fundamental II

No Ensino Fundamental II, o currículo foi enriquecido com atividades que integraram estudos sociais e português para aprofundar a compreensão dos alunos sobre a consciência negra. Os alunos do sétimo ano mergulharam na história de Zumbi dos Palmares, obtendo insights sobre suas origens e as lições duradouras que ele deixou para a sociedade brasileira. Enquanto isso, os alunos do oitavo ano expressaram suas reflexões sobre o Dia da Consciência Negra através da poesia, capturando as lutas e triunfos da comunidade negra.


Assembleia no Ensino Médio

O ponto alto do dia para os alunos do Ensino Médio e para a equipe foi uma assembleia liderada pelo Sr. Jorge Sobrinho, nosso estimado professor de história do Ensino Médio. A assembleia forneceu uma visão abrangente da origem e significado do Dia Nacional da Consciência Negra, enfatizando sua relevância na sociedade contemporânea. Essa sessão envolvente visava inspirar o pensamento crítico e a reflexão entre os alunos sobre a contínua luta contra o racismo e a desigualdade.


Hidaya Mombo, estudante do Grade 10, expressou suas opiniões sobre o Dia Nacional da Consciência Negra. Ela elogiou as iniciativas da escola, mas enfatizou que sempre há espaço para mais. Sua mensagem ecoa o sentimento de que a aprendizagem contínua é fundamental, instando a todos a se aprofundarem na importância da data comemorativa.

Hidaya destacou a importância do envolvimento e aprendizado em várias disciplinas - história, português e além. Segundo ela, compreender as origens e o contexto desse dia é essencial para uma educação abrangente. Ela enfatizou a necessidade de reconhecimento nacional, chamando a atenção para as disparidades entre estados como Brasília e Bahia. Para Hidaya, a conscientização deve transcender fronteiras geográficas, alcançando todos os cantos do nosso país.


Em sua mensagem à comunidade da Nations, ela disse: "Eu gostaria de dizer que não são apenas as pessoas que devem ser celebradas, mas também a história das pessoas negras e a dor, o sofrimento que enfrentaram. Sinto que as pessoas precisam conhecer a história e os eventos históricos que levaram a este dia e à sociedade que temos agora."


Contexto Histórico, Raízes e Reconhecimento Oficial

A inclusão de 20 de novembro como o "Dia Nacional da Consciência Negra" no calendário escolar remonta a 2003, após a promulgação da Lei nº 10.639. Essa lei tornou obrigatório o ensino da história e cultura africanas e afro-brasileiras na rede de ensino básico do país, como resposta aos esforços dos ativistas do Movimento Negro que defendiam a educação antirracista para enfrentar as desigualdades sociais persistentes por décadas.

As origens do Dia Nacional da Consciência Negra remontam às décadas de 1970 e 1980, impulsionadas pelo Grupo Palmares em Porto Alegre. A proposta ganhou aceitação em todo o país, e 20 de novembro surgiu como um dia para homenagear Zumbi dos Palmares, uma figura icônica na luta contra a escravidão e o racismo. Com o tempo, a celebração evoluiu para uma plataforma de reescrita da história do Quilombo dos Palmares, reconhecendo africanos e seus descendentes como protagonistas na busca pela liberdade.

O Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra foi oficialmente instituído pela Lei nº 12.519 em 10 de novembro de 2011, marcando a morte de Zumbi. Este dia serve como um lembrete tocante da resiliência e coragem dos indivíduos negros ao longo da história e de suas contribuições contínuas para moldar uma sociedade mais inclusiva e equitativa.

O Dia Nacional da Consciência Negra na Nations não é apenas uma celebração; é um compromisso em promover a compreensão, empatia e respeito entre nossos alunos. Através de atividades envolventes e iniciativas educacionais, buscamos capacitar a próxima geração com o conhecimento e a consciência necessários para contribuir para um mundo mais justo e inclusivo.

28 visualizações

Comments


bottom of page